No Man’s Sky: Um jogo de exploração espacial como você nunca viu

Matéria originalmente publicada na PlayTV em 16/12/13

http://www.playtv.com.br/games/artigo/especial/um-jogo-de-exploracao-espacial-como-voce-nunca-viu

No dia 7 de dezembro, foi ao ar a VGX, conhecida nos anos anteriores como a VGA (Video Games Awards), uma premiação do canal norte-americano de TV Spike para celebrar os melhores produtos da indústria dos videogames no ano de 2013. Durante as dez edições passadas, essa premiação tinha um formato similar para os games assim como o Oscar para o cinema. Os organizadores aproveitaram o aniversário de dez anos de sua estreia para mudar o nome do evento para VGX e trazer uma nova proposta, inovar e oferecer mais do que uma premiação para os espectadores.

VGA evolui para VGX

Ao total de sua exibição, esse evento distribuiu 23 premiações, como por exemplo estúdio e personagem do ano, melhores games para o Xbox e para o PlayStation, entre outras. A ordem em que essas premiações aconteciam foi determinada através das redes sociais, onde quem assistia ao evento devia tweetar com uma hashtag para ajudar a decidir qual seria a próxima categoria a ser exibida. Essa interação foi uma tentativa de integrar a participação de quem estava acompanhando a transmissão via web (ou pela TV norte-americana).

Durante a VGX foram exibidos 13 vídeos exclusivos sobre jogos que serão lançados em breve, e a melhor parte disso é que alguns dos produtores desses games estavam presentes nesse evento e conversaram com os apresentadores Joel McHale (Community) e Geoff Keighley (Game Trailers TV). E meu momento preferido dessa premiação foi a conversa com os desenvolvedores logo após um trailer ser revelado, pois ao invés de simplesmente mostrar algo inédito, a VGX se propôs a não só exibir uma sequência nunca antes vista, mas conversar com um produtor do jogo e saber mais detalhes sobre o que acabou de ser revelado.

NMS-2

Um jogo independente que roubou a cena

Um destes vídeos exclusivos que chamou muita atenção foi o trailer de No Man’s Sky, um jogo independente que não passava de um projeto interno – que era referenciado apenas por – Project Skyscraper (Projeto Arranha-céu) –  e está sendo produzido pela Hello Games. Os trabalhos prévios desse estúdio, composto por apenas quatro pessoas, são Joe Danger e Joe Danger 2.

Com seu trailer mostrando uma exploração espacial fortemente influenciado por obras da ficção-científica como Firefly, Battlestar Galactica, Duna, Star Wars dentre outras obras, No Man’s Sky ganhou destaque nos principais veículos internacionais da área como Gamasutra, Kotaku, Polygon, Destructoid.

O criador fala de sua obra

De forma tímida, Sean Murray, fundador da Hello Games e a pessoa que participou da VGX para falar sobre No Man’s Sky, respondeu a algumas perguntas dos apresentadores após o trailer acima ser exibido.

Nós somos um estúdio independente, nós queremos fazer várias coisas diferentes. E com esse jogo nós queríamos fazer algo que fosse um jogo de ficção-científica. E há vários jogos de ficção-científica, mas quando eu falo isso você visualiza um fuzileiro espacial, ou um pós-apocalipse, distopia.

O fundador da Hello Games explica o que é ficção científica para ele citando Asimov, Arthur C. Clarke, Chris Foss, Moebius, falando sobre os livros, artes e influências que esses ícones desse gênero que tiveram nele e, pelo que vimos no trailer, em No Man’s Sky.

Quando questionado sobre o que é mostrado no trailer, Murray responde. Nós queríamos fazer algo sobre exploração e algo que fosse real. Então quando você estiver em um planeta no nosso jogo, e se deparar com uma montanha que está a 3 milhas de distância [aproximadamente 5 km], você pode caminhar até lá. O produtor continua e explica um pouco sobre a dimensão que o jogo terá. Mas se você ver um planeta no horizonte, como aparece no trailer… esse é um lugar real. Você pode entrar na sua nave e ir até lá.

NMS-3

Geração processual

Uma das principais ferramentas por trás de No Man’s Sky que é utilizada na construção de seu universo, é a geração processual (Procedural Generation), para criar cenários que compõem o universo do jogo. De uma forma bem simplificada, essa ferramenta permite que o universo criado no jogo seja aleatório, fazendo com que as experiências entre cada jogador sejam diferentes entre si. Uma outra forma em que essa experiência única acontecerá está no fato em que cada jogador irá começar seu jogo em um planeta diferente, incentivando assim a exploração em busca de outros mundos e jogadores.

Entre outros exemplos de games que utilizam essa ferramenta, nós podemos citar desde o clássico Pitfall para o Atari, passando por Left for Dead sem esquecer de outros títulos independentes como Spelunky, Faster than Light e o sucesso de gameplay no Youtube, Minecraft.

Cada sistema estelar e por sua vez, cada planeta é criado usado a geração processual, mas todos eles fazem sentido e têm uma ecologia própria. E os jogadores poderão fazer mudanças significativas nos planetas para que essas alterações permaneçam para as outras pessoas. Qualquer planeta que você descobrir em sua jornada é marcado em seu mapa galáctico, juntamente com o nome, a atmosfera e que recursos você encontrar. Se você quiser, poderá compartilhar essas informações com todos os outros jogadores, fazendo com que o mapa galáctico de todos os jogadores seja atualizado.

NMS-4

Entramos em contato com a Hello Games

Após a VGX, entrei em contato com os produtores da Hello Games e fiz algumas perguntas sobre o jogo na esperança de que eles poderiam responder. Embora Murray não tenha respondido algumas das perguntas que eu fiz – aqueles questionamentos mais “bandidos” onde perguntei sobre a data de lançamento, plataforma, etc -, ele respondeu duas perguntas, que estão traduzidas abaixo.

Eduardo Emmerich: O trailer mostrado no VGX apresenta jogabilidade de No Man’s Sky?

Sean Murray: Sim! É tudo um vídeo em tempo real onde estou jogando em um único sistema solar que tem planetas que por um acaso possuem atributos semelhantes à Terra que possamos reconhecer e compreender. Levou um bom tempo gravar para que as sequências funcionassem no tempo com a música e com outras coisas como o tubarão a vista e não me atacando.

EE: Qual foi o feedback que a Hello Games recebeu após o trailer ser lançado na VGX?

SM: Tem sido incrível! Sinceramente, nós nunca tínhamos experimentado nada como isso antes. Até agora [No Man’s Sky] tem sido apenas um jogo que está na minha cabeça por anos, e em todas as nossas cabeças desde que começamos a fazê-lo. Realmente anunciá-lo e descobrir que tantas pessoas gostam do seu visual é simplesmente fantástico, além de um grande alívio. Nós definitivamente sentimos a pressão agora para fazê-lo, mas é uma grande pressão. Nós aguentamos.

Ainda sem previsão para seu lançamento, No Man’s Sky será lançado para PlayStation 4 e PC.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s