Prévia – The Witcher 3: Wild Hunt

Matéria originalmente publicada no Save Game em 15/04/15

http://www.savegame.com.br/previa-the-witcher-3-wild-hunt/


Nessa terça (14) fomos convidados pela CD Projet RED para participar de uma sessão de testes de The Witcher 3: Wild Hunt. Durante nossa jogatina, tivemos a oportunidade de passar quase duas horas jogando o início da terceira aventura do bruxeiro Geralt de Rívia. Vale lembrar que você pode assistir aqui aos primeiros 15 minutos do jogo.

A demonstração, uma build criada em janeiro para testes, estava disponível em três versões (PC, PlayStation 4 e Xbox One). Acabei escolhendo a edição de PCpara aproveitar a rara oportunidade de jogar em uma máquina da Nvidia com uma configuração robusta (a mais “simples” contava com GeForce GTX 980, Intel Core i5, 8GB de RAM e HD de 1TB). e testemunhar toda a beleza gráfica que uma máquina dessas é capaz de gerar.

Ambientado em 1272 na Teméria, a bela cinemática de abertura mostra uma mulher cavalgando, fugindo de um exército e transpondo os soldados que tomam a (péssima) decisão de cruzarem o caminho da hábil feiticeira de cabelos negros.

Os cenários desse prólogo alternam entre os confrontos da maga (que deixa rastros nos arredores) e os vestígios encontrados por Geralt que consegue identificar os próximos passos de Yennefer. Ao término da animação, o hands-on teve início mostrando um Geralt mais novo, relaxando em uma banheira em seu quarto na fortaleza de Kaer Morhen.

Essa parte serve como um tutorial e apresenta de forma bem didática os comandos básicos (como se locomover pelos cenários e usar os sentidos aguçados de Geralt) além de apresentar também os comandos básicos de combate (ataque normal, ataque forte, esquiva, bloqueio e contra-ataque, uso de magias e bombas). Além de permitir a ambientação com o gameplay, essa introdução apresenta também dois personagens centrais da narrativa,Vesemir (mestre de Geralt) e Ciri (aprendiz do protagonista).

Ao término de uma sessão de treinamento entre os bruxeiros, quando tudo parece estar bem, Geralt tem uma visão em que um navio fantasma tripulado por espectros emerge dos céus e captura Ciri. Essa é a Caçada Selvagem, antagonistas fantasmagóricos que dão nome ao sub-título do jogo. Nesse momento, o personagem acorda do seu pesadelo.

Após despertar, Geralt e Vesemir montam em seus cavalos (você pode “conjurar” seu cavalo apertando o analógico esquerdo) e partem para um vilarejo próximo, com o objetivo de conseguirem mais pistas sobre o paradeiro do interesse amoroso do personagem central. A dupla de guerreiros experientes segue seu caminho e se depara com uma carroça de um mercador sendo atacada por um grifo (foto abaixo), a primeira caça do bruxeiro.

É nesse momento quando a dimensão do que é The Witcher 3 começa a ser vislumbrada. Além do mapa ser incrivelmente vasto (cerca de 30 vezes maior que os cenários do jogo anterior), as possibilidades são assustadoras. O ambiente é rico, com florestas densas e pântanos de difícil locomoção, NPC’s cuidando de suas vidas, várias missões alternativas e, é claro, monstros, muitos deles.

O mercador que foi salvo pela Vesemir e seu aprendiz orienta os dois a irem para a taverna mais próxima. Lá eles podem comprar itens, jogar o Gwent(um jogo de cartas interessante) e interrogar os locais para obter informações.

Antes de deter a criatura que está ameaçando os inocentes da região, Geralt se prepara para o confronto. Primeiro ele deve saber maiores detalhes sobre sua presa e para isso parte ao encontro de um caçador que achou as primeiras vítimas da besta. Lá ele adquire informações essenciais sobre o animal, como seu sexo, idade e comportamento.

Após o primeiro reconhecimento, ele mergulha em uma lago próximo para coletar uma erva. Esse item peculiar servirá para atrair o grifo para um campo aberto, local estratégico e isolado onde será o fim desse monstro agressivo.

Durante as duas horas que passei completamente imerso no jogo, só levantando por alguns minutos para silenciar meu estômago que estava urrando de fome, percebi somente dois bugs. O primeiro deles foi um comportamento estranho no Carpeado, nome da montaria de Geralt, que pulava muito alto obstáculos pequenos e empacava ao se deparar com outros objetos. A outra falha foi um congelamento temporário (meros segundos) do jogo em uma única ocasião.

Para minha tristeza, não consegui derrotar o grifo ao término do meu teste, mas essa sessão foi mais do que suficiente para aumentar minha expectativa para esse que é uma das maiores promessas do ano.

The Witcher 3: Wild Hunt será lançado em 19 de maio para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Fomos informados que a NC Games lançará as edições especiais do jogo que serão vendidas por R$ 799,90 (PC) e R$ 899,90 (PS4 e Xbox One).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s